Brazil: Education

Toward a Curricular Structure     

By Adriana Cox-Hollos and Dr. Rubens Ribeiro Gonçalves da Silva

 

Article Index

Toward a Curricular Structure

Background

Current Conservation Education in Brazil

Toward a Curriculum Proposal

References, Notes

All Pages

 

Translated from Portuguese by Maria Elisa Bustamante of the Arquivo Nacional (Brazil) with additional translation assistance by Audrey Young, Moving Image Archiving and Preservation, New York University.

CHALLENGE:  When heritage conservation is not even fully recognized in your country how can you introduce the idea of creating interdisciplinary training programmes at national and regional levels to train the next generation of archivists, curators, collection managers etc. who are also competent to ensure preservation of newer media?

STRATEGIES: You increase awareness on the need for training; invite intergovernmental organizations or international bodies to hold training activities; and make alliances between national educational institutions and cultural institutions that are concerned about training their staff.

INTRODUCTION

A great number of terms and concepts related to records preservation, such as conservation, restoration and preventive conservation, possess multiple meanings. When employed in different contexts these help to reinforce the diffused and undefined identity of records preservation in Brazil, described at times as a “magical and artisanal” labor, and at other times as a “technical and specialized” procedure

Additionally, professionals working in records conservation still do not have well-established theoretical and methodological foundations and precepts, and do not have, in our country, a specific academic training at either the undergraduate or graduate level. Some initiatives are being implemented in this respect, but the majority of these are insufficient in the number of classes or are too narrowly focused on restoration, rather than on a curriculum that values training administrators who will be able to develop strategies of preventive conservation as well as minimize the causes of degradation and stabilizing deterioration. Furthermore, and mainly in the audiovisual field, the student must be prepared to deal with the production, storage and recovery of information created in or migrated to digital media.

BACKGROUND

The term ‘preservation’ has not always been used in the same context it is now. It has acquired a larger meaning, distinguishing itself by its multidisciplinary nature, with a strong administrative-managerial connotation of financial, human and material resources. Hernamperez (n.d.) helps us understand the shift in the discussions around preservation from a theoretical debate to a purely concrete one. He considers it fundamental to redeem the discussion about ethical, theoretical and practical problems that have arisen in our field in recent years. He affirms that “the libraries and archives are challenged by very different problems than those of other cultural institutions” and writes about the growth of the volume of information, the fragility of material supports, and the methods that are being developed for the physical conservation of these materials, together with the need to provide access and enable the dissemination of holdings. According to Hernamperez, this is causing “a latent crisis in the orthodox conservation paradigm” which has prioritized the restoration and treatment of individual items rather than preventive and passive measures that would reach a larger number of items.

Records preservation should be understood as a multidisciplinary activity, which is responsible for the administration and management of financial, human, and material resources dedicated to ensuring the physical integrity of objects, with the aim of increasing their durability and access by present and future generations. It is also defined as direct and indirect actions on the holdings and their environment, which have a goal of ensuring a minimum of physical and chemical alterations to objects.

Conservation can be divided into two categories. The first is preventive conservation, which uses passive methods so that the holdings, as a whole, have their durability increased. Examples of this type of procedure are climate-controlling the area where the records are kept with stable temperature and relative humidity parameters, and caring for the records with proper manual handling and adequate storage containers, postponing the degradation of the material supports.

The second category focuses on individualized treatment, by conservation and restoration methods, and by preservation of the informational/intellectual content through analog and/or digital duplication.

Most cultural institutions that have audiovisual collections in diverse formats are ill prepared to fully implement preventative and curative conservation for these types of materials. Furthermore, while the Brazilian audiovisual sector recognizes the need to increase education, technical training and preservation, it seems to be more focused on the cinematographic market and the public financing policies of audiovisual production. Brazilian producers, directors, and filmmakers know little about the challenges of audiovisual preservation.

It is surprising that an area that has so many financial resources still does not contemplate an effective audiovisual preservation policy. The initiatives of the Cinemateca Brasileira (Brazilian Cinematheque), which offers preservation of Brazilian cinematographic productions, internships, and courses, cannot meet the conservation and restoration demands of large quantities of film in an advanced state of deterioration

Meanwhile, it is known that much of the cinematographic production is already lost. Moreira (2005) quotes, as an example, the loss of the majority of negatives of the Cinema Novo1 films and even of the Cinema Marginal2, which is more recent, but no less deteriorated or lost.

Another aspect unique to films is the physical-chemical characteristics of the celluloid supports which make them more susceptible to degradation than supports made of paper, for example. These characteristics require a greater agility when making preservation decisions. Recently, digital technologies have strongly impacted the physical preservation of traditional audiovisual supports. However, digital restoration and preservation have not yet matured to the point of replacing the physical conservation of original film materials. For the time being, digital restoration answers the demands of access and dissemination.

There is also still the problem of obsolescence of formats, for example, the 2 inch Quadruplex tapes used in the early years of television production, or even the more recent U-Matic tapes. There are few decks available to read these tapes and reformat them to a modern format.

CURRENT CONSERVATION EDUCATION PRACTICES IN BRAZIL

Related to the question of professional education, which is the object of this article, Gomes (2000) points out that in Brazil,

Although the teaching of conservation, preservation and restoration of records holdings are contemplated in the Archiving and Library Science undergraduate curricula, the contents taught do not offer training that enable the student to act in conservation and restoration”.

If there is no specific training to enable conservators to devise sustainable strategies for the preservation of Brazilian heritage, and if the subjects that should at least arouse interest and minimally train the newly graduated archivists and librarians to implement the necessary actions to preserve this heritage do not accomplish this aim, these professionals should at least be absorbed into post-graduate courses to be further trained in structured education programs. The same thing can be said regarding the teaching of audiovisual records preservation. Abroad, there are newly created graduate programs that aim to train specialists in both digital and analog audiovisual records preservation.

Brazil is dealing with a lack of professional training and proper regulation of the profession. Professionals have attempted to overcome these shortcomings with an ethics code that allows conservators to realize their role beyond the use of a set of techniques and applied materials.

In Brazil, the tendency in practical and methodological records preservation has been to adopt methods, materials and procedures used in countries whose realities are very different than ours, especially in terms of climate. The majority of the professionals dedicated to this activity specialized abroad, mainly in the USA and Europe. These professionals, with time, have dedicated themselves more to discussing restoration techniques and the physical-chemical-structural problems of material supports than to reflecting and rethinking the nature of their activity.

Thus, our reflection on a curriculum proposal is aimed at education programs that deal with questions beyond the methodologies and techniques of conservation, and additionally reflect on issues related to the history of preservation in Brazil, epistemological and scientific aspects of preservation, and the planning and administration of preservation programs. It will be important to train a proactive professional, able to adopt sustainable strategies for preservation and continuous access to records holdings for present and future generations.

As we have seen, there are many challenges to audiovisual preservation. The solution undoubtedly lies in the professional training of a generation ready to be absorbed by the market and able to develop cooperative programs for audiovisual preservation, in the form of partnerships between preservation institutions and producers, researchers and universities.

TOWARD A CURRICULUM PROPOSAL

As a starting point, it is necessary to think about both the profile of the professional to be trained as well as to rethink the idea of the university itself. Even when we consider its academic excellence, the university today still reflects the nineteenth century, when the current educational model was outlined and departmentalized.

SOIMA 2007 at Arquivo Nacional

To illustrate the need of rethinking the university,Rudá Ricci (2001) in his article “Projetos e Currículos Interdisciplinares” (“Interdisciplinary Projects and Curricula”) uses a table developed by Fernando Hernández to show the basic differences between cross disciplinary projects and projects centered on specific subjects. While in the traditional conception we work with concepts, objectives and results, in the interdisciplinary conception, the discussion of themes and problems allied to projects and research are built in the classroom and occupy a central place. If we bring this thought to the field of audiovisual preservation, we will clearly see that the experience of the course “SOIMA – Safeguarding Sound and Image Collections,” held in 2007 at the Arquivo Nacional (National Archives) of Brazil in partnership with the International Centre for the Study of Preservation and Restoration of Cultural Properties (ICCROM), reflects the point of view of an interdisciplinary curriculum that seeks diversity in a space of collective learning.

Some Brazilian federal universities have been investing in restructuring existing courses and creating new courses with an emphasis on allowing the student to freely determine the curriculum components that they intend to use.In addition, the universities are now considering the complementary activities of academic life (conferences, published articles, oral communications, participation in language courses, etc) as inherent elements of a course’s time requirements. The Federal University of Bahia (UFBA) is part of this segment that is proposing restructuring and modifying the curriculum of training matrices.

The Information Science Institute (ICI-UFBA)

The Information Science Institute (ICI-UFBA) is in the implementation phase of a new curriculum to its Archiving course, which will include, among others, subjects related to the preservation of moving image and sound records. Additionally, following the participation of one of its professors3 in SOIMA 2007, the ICI held the 8th National Meeting of Information Education and Research (VIII CINFORM) 4 , one of the most important events in the information science field in Brazil. This year’s main focus was on, “Education, Curriculum and Research in Information: Reflection, New Themes and Future Propositions”, and it was the first time that themes of digital conversion of sound and moving images were included. The symposium focused on keeping an eye toward the future, proposing a speculative reflection on research, on the improvement of the curricula matrices, on professional competencies, on the current information science formation, and finally, on archiving and conservation in the 21st century. The importance of the lived experience, of the knowledge acquired and the relations established during the SOIMA 2007 course was fundamental to this academically and scientifically fruitful unprecedented focus at VIII CINFORM.

The VIII Cineform. The authors of this article seated second and third from left

Among the invited speakers at this edition of CINFORM were two Brazilian participants in SOIMA 2007, one from the National Council of Archives (CONARQ) and another from The Center for Research and Documentation of the Contemporary Brazilian History of the Getúlio Vargas Foundation (CPDOC/FGV). There was also a SOIMA participant from the Universidad de Chile at the meeting. In addition, two other lecturers were invited from partner institutions of the successful SOIMA course, one from the Arquivo Nacional and the other from Cinemateca Brasileira. These speakers all delivered lectures on the theme of sound and audiovisual records preservation. Two other lecturers, both from the team of instructors in SOIMA 2007, from Arquivo Nacional and the Cinemateca Brasileira. also participated in VIII CINFORM.

Another recent development in this area is the UFBA’s new Interdisciplinary Baccalaureate (BI)5 model, started in the 2009 academic year. The BI’s curriculum architecture is based on formation cycles, a model that is used in the majority of countries with a high level of economic, social, cultural and scientific development. This system of cycles has been practiced in the United States since 1910 and was initiated in Europe in 1999 when the university system was reformed by introduction of the Bologna Process. The system prioritizes general studies in the first cycle. For the BI model adopted at ICI-UFBA, curriculum components are being proposed that introduce the theme of audiovisual preservation, allowing those who wish to receive further training in the field. Currently ICI-UFBA is offering it in the existing undergraduate level Archival Science Course, and will make it available in the near future, in a post-graduate level course (still being developed). The goal is to be able to develop research and to offer extensive training in audiovisual records preservation.

The Archival Science Course offered by ICI-UFBA has promoted significant changes related to the theme of records preservation. Curriculum components involving the organization and preservation of sound and audiovisual records were added to the new matrix, as a first step in the reformulation of the professional qualification at the undergraduate level. Also, in the Information Science Post-Graduation Program, the optional curriculum component “Introduction to Safeguarding Sound and Audiovisual Collections” 6 was offered as an experiment in the first semester of 2008.

In a recent publication edited by ICCROM titled Sharing Conservation Decisions, Catherine Antomarchi describes in her article “From design to evaluation: the anatomy of an ICCROM course,” the need to incorporate the current challenges to the preservation of cultural heritage in education and training programs. She emphasizes the need to put the importance of the cultural heritage value at the center of every preservation activity; to establish preservation as a bridge between the cultural good and the past, the present and the future; and finally, to encourage, disseminate and protect the plurality of approaches to education and learning. She quotes Robert Ferguson (2003), who sets the tone when he compares the planning of an education course to the process of musical composition:

Planning a course is like writing a piece of music. We have to consider where we want the points of emphasis, the appropriate tempo and the variations of rhythm and melody you intend to offer. We also have to decide who is playing the instruments and what kind of audience they will have!” (FERGUSON, 2004, p. 30)

ICCROM has vigorously demonstrated the ability to innovate in the permanent exchange of information as a means of promoting new experiences in the training process, which is refreshing in view of the traditional model we are used to. The model they have designed is a multicultural and multidisciplinary forum, where the participants are professionals working in the preservation field from a number of different countries. SOIMA 2007 in Rio de Janeiro, which we co-organized with ICCROM and other Brazilian institutions, allowed some Brazilian professionals the opportunity to refresh and build on their knowledge in this field. If it becomes difficult to financially support the participation of professionals at this kind of course in other countries, we might develop technical cooperation projects where students have the opportunity to conduct technical internships at regional centers here in Brazil. The Cinemateca Brasileira has done this but it is not sufficient to meet professional qualification demands. We now need to consider creating new regional centers in our country, not only to allow us to practice and to apply the acquired knowledge, but also to improve the actual condition of our audiovisual records.

However, as this article is a reflection on the curriculum directive, we must think specifically about the abilities and skills that the students need to develop in order to perform the conservation of audiovisual collections. The creation of undergraduate and/or post-graduate courses should be a response to a survey of the existing conditions in the region where the creation of a course is intended. This type of analysis related to the existent collections and their safeguarding and conservation conditions could delineate the profile of the professional to be trained. Perhaps this will be the first step toward the elaboration of a professional training policy in audiovisual preservation in Brazil. The partnership between the Associação Brasileira de Conservadores-Restauradores de Bens Culturais (Brazilian Association of Conservators and Restorators of Cultural Goods – ABRACOR) and the Fundação Casa de Rui Barbosa is trying to undertake this type of research.

Particpants of SOIMA 2007 at Cinemateca Brasilera

In addition to this initiative, the Study Group of Culture, Representation and Digital Information (CRIDI) 7 , of which the authors of this article are members, concluded a recent survey of public institutions in the city of Salvador, Bahia, where an analysis of various factors (technical, training, subjects and types of media in different collections, etc), allowed us to understand the complexity of context and environment for local audio, photographic and audiovisual records.8 In the same way, the Conselho Nacional de Arquivos (National Council of Archives – CONARQ) is conducting a survey to know the reality of municipal and statewide public archives, with the aim of incrementimplementimproving the national policy for archives. In relation to cinema, a similar survey could be conducted by the Brazilian Cinematographic Census, which is in charge of the Cinemateca Brasileira.

Another point to be highlighted is the continental dimensions of our country and the need to create regional centers capable of assimilating the newly formed professionals. We propose an interdisciplinary approach to the construction of knowledge about records preservation that requires:

  • Internships in regional labs, where the students can have contact and become familiar with modern techniques and technological resources;
  • Familiarization with the historical evolution of preservation, connecting it to the social, political, economic and cultural context of knowledge production in the field;
  • Recognition of the importance of reading professional literature when coping with new problems; and
  • Participation in research and teaching programs.

In conclusion, we propose a curriculum that has a commonfoundation in general training, so that audiovisual preservation students can benefit from the experiences that have been gained in the field of textual records preservation. This training must offer the students not only the command of the general and fundamental principles of preservation related to the conservation and restoration of material supports, but also allow the students to face new situations using modern strategies, methods and tools in the production of knowledge within the different fields of preservation.

CRIDI intends to continue developing analysis and studies in their line of research on “Conservation and Preservation of Photographic, Audiovisual and Audio Collections”. Thus we will continue to reflection on the local and national debate and to lead us to a more consistent curriculum proposal for training of professionals interested in the field of audiovisual preservation at the graduate level. It is important to note that this does not impede us to act today at the undergraduate level.

REFERENCES

ANTOMARCHI, Catherine. “From design to evaluation: the anatomy of an ICCROM course.”Sharing Conservation Decisions: Lessons learnt from an ICCROM course. Rome: ICCROM, 2007. Accessed 15 January 2009 from www.iccrom.org/pdf/ICCROM_15_SharingConservDecisions-lt_en.pdf

EDMONDSON, Ray. Audiovisual archiving: philosophy and principles . Paris: UNESCO, 2004. Accessed 15 January 2009 from <unesdoc.unesco.org/images/0013/001364/136477e.pdf>

FERGUSON, Robert et al. Our students and ourselves – Approaching course design . Rome: ICCROM, 2004.

GOMES, Neide A. “O Ensino de Conservação, Preservação e Restauração de Acervos Documentais no Brasil.” Brasília: Universidade de Brasília, 2000. [Masters Thesis]

HERNAMPÉREZ, Arsenio S. “Paradigmas Conceptuales en Conservación.” Accessed 15 January 2009 from <http://palimpsest.stanford.edu/byauth/hernampez/canarias.html>

HOLLÒS, Adriana Cox. “Entre o passado e o futuro: limites e possibilidades da preservação documental no Arquivo Nacional do Brasil.” Rio de Janeiro: UNIRIO, 2006. [Masters Thesis] Available from <http://www.dominiopublico.gov.br>

SANTOS, Boaventura de Souza. A UNIVERSIDADE NO SÉCULO XXI – Para uma reforma democrática e emancipatória da Universidade. São Paulo: Ed. Cortez, 2005.

SANTOS, Boaventura de Souza. UM DISCURSO SOBRE AS CIÊNCIAS. 5ª ed. São Paulo: Ed. Cortez, 2008.

NOTES

1. A Brazilian cinematographic movement, influenced by Italian Neo-realism and Nouvelle Vague, which appeared in the 1950s/60s with the motto: “A camera in the hand and an idea in the head.” They proposed to make auteur films which were cheap and preoccupied with social issues, and to create a political-cultural identity for the Brazilian people.

2. An underground cinematographic movement from the end of the 1960s whose members were searching for a new aesthetics. It was aligned with the world counterculture movement and the explosion of the “Tropicalismo” movement in Brazilian Popular Music (MPB).

3. Dr. Rubens Silva, co-author of this article.

4. Cf. http://www.cinform2008.ici.ufba.br/ . Accessed in 17/10/2008.

5. Cf. http://www.portal.ufba.br/destaques/implant_reuni.pdf . Accessed in 17/10/2008.

6. For 2009, still experimentally, we intend to improve the course, this time giving it an hybrid course characteristic – partially in class, and partially long distance –, using a Moodle system of course management.

7. Cf. http://www.twiki.ufba.br/twiki/bin/view/Cridi/WebHome  Accessed  in 17/10/2008. See also http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0291607KTX7ENZ . Accessed  in 17/10/2008.

8.Cf. https://www.twiki.ufba.br/twiki/bin/view/Cridi/Projeto%201 . Accessed in 17/10/2008.

Preservação Audiovisual: Uma breve reflexão para uma estruturação curricular          

Por Adriana Cox Hollós and Rubens Ribeiro Gonçalves da Silva

Article Index

Preservação Audiovisual: Uma breve reflexão para uma estruturação curricular

Antecedentes

Práticas Educacionais Atuais No Brasil

Referencias, Notas

 

CHALLENGE: Como fomentar a idéia de criar programas interdisciplinares de treinamentos, em níveis regionais e nacional, quando a conservação do patrimônio ainda não é amplamente reconhecia em seu país, de forma a aperfeiçoar a próxima geração de arquivistas, curadores, gestores de coleções etc. aos quais também compete a promoção de ações que assegurem a preservação das mais recentes mídias e suportes?

STRATEGIES: Ampliar a consciência acerca da necessidade dos treinamentos; convidar  organizações, em âmbito internacional, e governos a desenvolver ações relativas a treinamentos; estimular o surgimento de alianças entre instituições educacionais do pais e instituições culturais interessadas em treinar suas equipes.

INTRODUÇÃO

Uma grande diversidade de termos e conceitos relacionados à preservação documental, tais como conservação, restauração e conservação preventiva possuem múltiplos significados.  Quando empregados em diferentes contextos, contribuem para reforçar a identidade difusa e indefinida da preservação documental no Brasil, que ora é tida como uma atividade responsável por um fazer “mágico e artesanal”, ora como procedimento  “técnico e especializado”.

Aliado a isso, o profissional atuante na área da conservação de documentos ainda não tem suas bases e pressupostos teóricos e metodológicos bem estabelecidos e não conta, em nosso país, com uma formação acadêmica específica, seja em nível de graduação, seja de pós-graduação.  Algumas iniciativas vêm sendo implantadas neste sentido, mas em sua maioria possuem carga horária insuficiente ou estão muito vinculadas ao aspecto restaurativo da área, em detrimento de um currículo que privilegie estratégias de ação voltadas à conservação preventiva e à formação de gerentes capazes de administrar programas dedicados à minimização das causas de degradação e à estabilização dos danos.  Além disso, e principalmente na área audiovisual, os alunos devem ser preparados para lidar com as questões relacionadas à produção, armazenamento e recuperação da informação gerada ou migrada para um meio digital.

ANTECEDENTES

Houve um tempo em que o termo preservação não era utilizado no contexto em que o é atualmente, quando adquire um significado ampliado, distinguindo-se pelo seu caráter multidisciplinar, com forte conotação administrativo-gerencial de recursos financeiros, humanos e materiais.

Hernamperez (s/d, p.3) nos ajuda a compreender a intenção de derivar o debate teórico para o debate puramente material e considera fundamental o resgate da discussão acerca dos problemas éticos, teóricos e práticos surgidos nos últimos anos em nossa atividade.

Esse autor afirma ainda que “as bibliotecas e os arquivos enfrentam problemas bem diferentes daqueles enfrentados por outras instituições do tipo cultural” e fala sobre o crescimento do volume de informação, a fragilidade de seus suportes e a forma com que se tem buscado enfrentar o problema da conservação física dos materiais, aliados à necessidade de acesso e difusão dos acervos documentais.  Segundo ele, isso teria provocado “uma crise latente no paradigma da conservação ortodoxa” que priorizava o tratamento de restauração de itens individuais em detrimento de medidas preventivas e passivas que alcançariam um número maior de itens.

A preservação documental deve ser entendida como uma atividade multidisciplinar, responsável pela gestão e administração de recursos financeiros, humanos e materiais dedicados a garantir a integridade física dos objetos, aumentando sua durabilidade e acesso às gerações presentes e futuras.  Ela também é definida em função de suas ações diretas e indiretas sobre o acervo e o ambiente que o contém, cujo objetivo visa a garantir o mínimo de alterações físicas e químicas ao longo da sua existência.

A conservação pode ser dividida em duas categorias.  A primeira refere-se à conservação preventiva, que se utiliza de métodos passivos para que os acervos, como um todo, tenham sua durabilidade aumentada.  São exemplos desse tipo de procedimento a climatização da área de guarda dos documentos, com parâmetros estáveis de temperatura e umidade relativa, e os cuidados com o manuseio e o acondicionamento adequados, a fim de garantir o retardamento da degradação dos materiais.

A segunda categoria objetiva o tratamento individualizado, tanto por meio de métodos de conservação e restauração, quanto pela preservação do conteúdo informacional/intelectual em meio analógico e/ou digital.

Com relação ao cinema, os desafios são ainda maiores no Brasil, dado o fato que produtores, diretores, cineastas pouco conhecem sobre os dilemas e desafios da preservação audiovisual.  A política audiovisual brasileira, embora reconheça a necessidade de incrementar a formação, a capacitação técnica e a preservação, parece estar mais voltada às questões atuais do mercado cinematográfico e às políticas públicas de financiamento da produção audiovisual.

Causa surpresa que uma área que movimenta tantos recursos, não contemple ainda uma política efetiva de preservação audiovisual.  As iniciativas da Cinemateca Brasileira, como instituição de referência, no que tange à preservação da produção cinematográfica brasileira e os estágios e cursos que oferece, não supre a demanda de conservação e restauração das películas em avançado estágio de deterioração.

Enquanto isso se sabe que muito da produção cinematográfica já se perdeu.

Moreira (2005) cita, por exemplo, a perda da maioria dos negativos de filmes do Cinema Novo1 e mesmo do Cinema Marginal2, mais recente, mas não menos deteriorado ou perdido.

Um outro aspecto que se impõe ao audiovisual diz respeito às características físico-químicas dos suportes fílmicos, que os tornam mais susceptíveis à degradação do que os suportes em papel, por exemplo.  Essas características nos impõem maior agilidade na tomada de decisão em preservação.  Por outro lado, as tecnologias digitais têm provocado forte impacto na preservação física dos suportes audiovisuais tradicionais.  Muito tem se falado em “restauro digital”, mas na verdade esse tipo de método não se aplica à conservação física das películas, essas sim consideradas originais a serem preservados.  O restauro digital atende às demandas de acesso e difusão.

Há ainda o problema da obsolescência dos formatos, como por exemplo, as fitas quadruplex utilizadas pelas televisões, ou mesmo a U-Matic, mais recente.   Poucos são os equipamentos disponíveis para se fazer a leitura dessas fitas e a sua reformatação para um formato atual.

PRÁTICAS EDUCACIONAIS ATUAIS NO BRASIL

No que tange à questão da formação profissional, objeto deste artigo, encontramos algumas referências onde Gomes [2000] assinala que no Brasil,

“Apesar de o ensino de conservação, preservação e restauração de acervos documentais estar contemplado nos cursos de graduação em Arquivologia e Biblioteconomia, os conteúdos ministrados não proporcionam aos alunos uma formação que os capacite a atuarem na conservação e restauração”.

Se não há formação profissional específica para capacitar conservadores a elaborarem estratégias sustentáveis para a preservação do patrimônio documental brasileiro e se as disciplinas que deveriam pelo menos despertar o interesse e capacitar minimamente os arquivistas e bibliotecários recém-formados a implantarem ações necessárias à preservação não cumprem essa finalidade, deveríamos ao menos absorver esses profissionais em cursos de pós-graduação para especializá-los em programas de ensino.  E o mesmo pode ser dito com relação ao ensino da preservação de documentos audiovisuais.  No exterior, a tendência tem sido a criação de programas de pós-graduação que visam à formação de especialistas em documentos audiovisuais, digitais ou textuais, por exemplo.

No Brasil, frente à falta de formação profissional e à regulamentação da profissão, tenta-se superar essas carências com uma orientação ética que permita ao conservador situar-se no tempo e no espaço, percebendo seu papel para além da utilização de um conjunto de técnicas e materiais aplicáveis.

Ainda com relação às bases práticas e metodológicas da preservação documental no Brasil, a tendência foi a adoção de métodos, materiais e procedimentos utilizados em países cujas realidades são bem distintas das nossas, inclusive em termos climáticos.

A maioria dos profissionais dedicados a essa atividade especializou-se no exterior, principalmente nos Estados Unidos e na Europa.  Estes profissionais, ao longo do tempo, se dedicaram mais a discutir os critérios, as técnicas de restauração e os problemas físico-químicos-estruturais dos suportes documentais do que em refletir e repensar a natureza e o alcance de sua atividade.

Assim, nossa reflexão sobre uma proposta curricular está voltada aos programas de ensino que necessariamente abordem questões para além das metodologias e técnicas de conservação, incluindo temas relativos à história da preservação no Brasil, aspectos epistemológicos e científicos da preservação, além de conteúdos relativos ao planejamento e administração de programas de preservação.  Importante será formar um profissional pró-ativo, capaz de adotar estratégias de ação baseadas na sustentabilidade, na visão sistêmica do problema e na implantação de programas para a preservação e o acesso continuado aos acervos documentais para as gerações presentes e futuras.

Como vimos, muitos são os desafios impostos ao audiovisual.  A saída, sem dúvida, está na formação profissional de uma geração capaz de ser absorvida pelo mercado profissional e apta a desenvolver programas cooperativos de preservação audiovisual, sob a forma de parcerias entre as instituições de preservação e os produtores, pesquisadores e a universidade.


PARA UMA PROPOSTA CURRICULAR   

Como ponto de partida, é preciso que se reflita sobre o perfil do profissional que se pretende formar. Está clara também a necessidade de se pensar a própria idéia de universidade. A universidade, hoje, da forma como a conhecemos está sendo questionada e mesmo quando considerada sua excelência acadêmica reflete ainda o século XIX, quando se esboçou um modelo educacional departamentalizado.

SOIMA 2007 – Arquivo Nacional do Brasil

Para ilustrar a questão acerca do necessário repensar da Universidade, Rudá Ricci (2001) em seu artigo “Projetos e Currículos Interdisciplinares” utiliza-se de uma tabela desenvolvida por Fernando Hernández para demonstrar as diferenças básicas entre projetos transdisciplinares e projetos centrados em disciplinas específicas. Enquanto que na concepção matricial tradicional trabalha-se conceitos, objetivos e metas por exemplo, na concepção transdisciplinar a discussão de temas e problemas aliada a projetos e trabalhos de pesquisa construídos em sala de aula ocupam um lugar central.   Se trouxermos esta reflexão para o campo da preservação audiovisual, veremos claramente que a experiência vivenciada no curso “SOIMA – Safeguarding Sound and Image Collections”, realizado em 2007 no Arquivo Nacional do Brasil em parceria com o International Centre for the Study of Preservation and Restauration of Cultural Properties – ICCROM, reflete o ponto de vista de um projeto interdisciplinar que busca na diversidade cultural um espaço de aprendizagem coletivo.

 

Algumas universidades federais brasileiras vêm investindo na reestruturação de cursos e na criação de novos cursos com ênfase no aspecto que promove a oportunidade de ações e decisões mais diretamente sob a responsabilidade e desejo do estudante, que passa a ter maiores opções para, livremente, decidir pelos componentes curriculares que pretende cursar. Além disso, as Universidades passam a considerar as atividades complementares da vida acadêmica (congressos, artigos publicados, comunicações orais, participação em cursos de idiomas, etc) como elementos componentes da carga horária do curso. A Universidade Federal da Bahia (UFBA) compõe este segmento que vem propondo reestruturações e modificando as matrizes curriculares de formação.

 

Instituto de Ciência da Informação (ICI-UFBA)

O está em fase de implantação de um novo currículo para o curso de arquivologia, composto, por exemplo, por disciplinas relativas à preservação de documentação sonora e audiovisual. Complementarmente, após a participação de um dos autores como cursista no SOIMA 2007, o ICI realizou o VIII CINFORM – Encontro Nacional de Ensino e Pesquisa em Informação3, um dos eventos mais importantes da área da ciência da informação no Brasil, cujo enfoque central, “Ensino, Currículo e Pesquisa em Informação: Reflexões, novos temas e propostas prospectivas”, reservou pela primeira vez um espaço aos temas da conversão digital de som e imagem em movimento, procurando manter o olhar atento ao futuro, propondo a reflexão prospectiva sobre a pesquisa, sobre a atualidade e o aperfeiçoamento das matrizes curriculares, sobre as competências profissionais, sobre a formação científica contemporânea em informação e, por extensão, em arquivologia e conservação, na Universidade do século XXI. A importância da experiência vivenciada, do conhecimento adquirido e das relações estabelecidas durante o curso SOIMA 2007 foi fundamental para este viés inédito e acadêmica e cientificamente proveitoso do VIII CINFORM.

VIII CINFORM 2008

Nesta edição do CINFORM, entre os palestrantes convidados, havia dois participantes brasileiros no SOIMA 2007 (Conselho Nacional de Arquivos e Centro de Pesquisa e Documentação da História Contemporânea do Brasil, da Fundação Getúlio Vargas) e um estrangeiro (Universidad de Chile) para proferirem palestras sobre a temática da preservação da documentação sonora e audiovisual. Além disso, foram convidados dois outros palestrantes de instituições que foram parceiras do ICCROM para o sucesso do curso SOIMA, o Arquivo Nacional e a Cinemateca Brasileira.

Indo além, a UFBA propôs e implementou, para início no ano letivo de 2009, os Bacharelados Interdisciplinares4  – BI, de arquitetura curricular por ciclos de formação, modelo que predomina em quase todos os países com elevado grau de desenvolvimento econômico, social, cultural e científico-tecnológico. Desde 1910 este sistema de ciclos é adotado nos Estados Unidos. Na Europa também, com o processo de reforma universitária em curso (Processo de Bolonha, iniciado em 1999), o regime de ciclos prioriza estudos gerais no primeiro ciclo. Neste modelo de BI adotado no ICI-UFBA já se pode pensar em propor componentes curriculares que introduzam o tema da preservação audiovisual, estimulando os que optarem pela formação futura na área, seja em arquivologia (curso já existente e com o currículo reestruturado), numa especialização em nível de pós-graduação, ou num curso de graduação específico, a se pensar, de formação ampla em Preservação Documental.

Com relação ao tema da preservação documental, o curso de arquivologia oferecido pelo ICI-UFBA também promoveu significativas mudanças. Componentes curriculares voltados à organização e preservação de documentação sonora e audiovisual foram inseridos na nova matriz, como um primeiro passo para se repensar a qualificação profissional no nível da graduação. Também no Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação, foi oferecido, a título de experimentação, no primeiro semestre de 2008, o componente curricular optativo “Introdução à salvaguarda de arquivos de som e imagem em movimento”.5

Em uma publicação recentemente editada pelo ICCROM, “Lessons learnt from an ICCROM course”, Catherine Antomarchi, descreve em seu artigo “From design to evaluation: the anatomy of an ICCROM course” a necessidade de se incorporar os desafios atuais da preservação de bens culturais aos programas de educação e treinamento, quais sejam: a necessidade de se colocar a importância do valor cultural do patrimônio no centro de qualquer ação de preservação; estabelecer a preservação como uma ponte entre o bem cultural e o passado, o presente e o futuro; e finalmente, encorajar, difundir e proteger a pluralidade das abordagens de ensino e aprendizagem.

Robert Ferguson (2003) é quem dá o tom ao comparar o planejamento de um curso de formação a um processo de composição musical.  Assim ele diz:

“Planejar um curso é como escrever uma peça de música. Nós temos que considerar onde queremos a ênfase, o tempo apropriado e as variações de ritmo e melodia (…). Temos também que decidir quem irá tocar os instrumentos e qual o tipo de audiência que queremos alcançar”. (FERGUSON, 2003, p. 30) Tradução nossa.

O ICCROM tem demonstrado grande vigor e capacidade de inovação na troca permanente de informações como forma de potencializar novas experiências no processo de formação.

De início, podemos citar o fato que o tipo de modelo proposto por eles implica na criação de um fórum multicultural e multidisciplinar, onde a audiência é formada por profissionais atuantes na área da preservação oriundos dos mais diferentes países.  O SOIMA 2007, programa de formação audiovisual do ICCROM e organizado no Rio de Janeiro em parceria com o Arquivo Nacional e outras instituições brasileiras, permitiu a alguns brasileiros terem a oportunidade de atualizar ou construir um conhecimento neste campo. Se há dificuldades financeiras para viabilizar a participação de profissionais em cursos deste tipo em outros países, deveríamos desenvolver projetos de cooperação técnica em estágios aqui no Brasil.  A Cinemateca Brasileira tem feito isto, mas não é suficiente para atender à demanda de qualificação profissional em nosso país.  Necessitamos agora, é considerar a criação de centros regionais não somente para permitir a prática e a aplicação do conhecimento adquirido, mas também para incrementar as  condições de conservação de nossos acervos audiovisuais.  Pode-se afirmar, sem dúvida alguma, que o modelo adotado pela área de preservação de bens culturais, onde a comunicação permanente entre os conservadores se dá em nível local e global, seja através da participação em encontros, cursos, palestras, visitas técnicas e seminários, seja através de listas de discussão, tem sido muito profícuo.

Entretanto, como a proposta é a de refletir sobre uma diretriz curricular busca-se com este artigo pensar sobre as habilidades e competências que os alunos precisam desenvolver em função das necessidades de conservação dos acervos audiovisuais.

Neste caminho, identificamos um primeiro ponto a ser debatido.  A criação de cursos de graduação e/ou pós-graduação deveria ser uma resposta a um levantamento das condições existentes em uma determinada região, onde se pretende criar o curso.  Essa espécie de diagnóstico relativo ao tipo de acervo existente, às condições de guarda e de conservação poderia nortear o perfil do profissional a se formar.  Talvez seja esse o primeiro passo na elaboração de uma política de formação profissional em preservação audiovisual. Uma parceria entre a Associação Brasileira de Conservadores e Restauradores de Bens Culturais e a Fundação Casa de Rui Barbosa está buscando viabilizar este tipo de levantamento.

SOIMA 2007 – Cinemateca Brasilera

Além desta iniciativa, o Grupo de Estudos sobre Cultura, Representação e Informação Digitais (CRIDI)6, do qual os autores deste artigo fazem parte, concluiu pesquisa recente em instituições públicas da Cidade do Salvador, na Bahia, onde um diagnóstico parcial, elaborado sob diferentes aspectos (técnicos, de formação, de temas e suportes existentes nos diferentes acervos, etc), permitiu entender a complexidade do contexto e do âmbito relativos a documentos sonoros, fotográficos e audiovisuais locais.7  Da mesma forma, o Conselho Nacional de Arquivos está conduzindo uma pesquisa para conhecer a realidade dos arquivos públicos municipais e estaduais com o objetivo de aperfeiçoar a política nacional de arquivos. Com relação ao cinema, poderia ainda ser conduzido um levantamento baseado no Censo Cinematográfico Brasileiro, a cargo da Cinemateca Brasileira.

Um outro ponto a ser destacado são as dimensões continentais de nosso país e a necessidade de se criar centros regionais capazes de assimilar os profissionais recém-formados. Propomos uma abordagem interdisciplinar da construção do conhecimento em preservação documental, que passe necessariamente por:

  • Estágios em laboratórios regionais, onde os estudantes possam entrar em contato e se familiarizarem com técnicas e recursos tecnológicos modernos;
  • Familiarização com a evolução histórica da Preservação, relacionando-a aos contextos social, político, econômico e cultural da produção do conhecimento na área;
  • Reconhecimento da importância da leitura de bibliografia especializada no enfrentamento de problemas novos;
  • Participação em programas de iniciação à pesquisa e à docência.

Assim, concluímos que a experiência da área da preservação de documentos textuais pode e deve ser aproveitada pela área audiovisual.  Por essa razão, propõe-se um currículo que tenha um tronco comum na formação geral do indivíduo.  Essa formação deve proporcionar aos alunos, não apenas o domínio de princípios gerais e fundamentais da Preservação, relacionados à conservação e à restauração dos suportes, mas também permitir que os estudantes enfrentem novas situações utilizando estratégias, métodos e instrumentais modernos para a produção do conhecimento em campos diferenciados da Preservação.

O CRIDI pretende continuar desenvolvendo diagnósticos e estudos em sua linha de pesquisa sobre “Conservação e Preservação de Acervos Fotográficos, Audiovisuais e Sonoros”. Desta forma estará dando prosseguimento ao debate local e nacional e à reflexão que nos leve a uma proposta curricular mais consistente para a formação em nível de pós-graduação, num primeiro momento, de profissionais interessados no campo da preservação destes gêneros documentais. Importante frisar que isso não nos impede de agir já no nível da graduação.

REFERÊNCIAS

ANTOMARCHI, Catherine. From design to evaluation: the anatomy of an ICCROM course. In: Lessons learnt from an ICCROM course. Roma: ICCROM, 2007 Disponível em 15/01/09 em http://www.iccrom.org/pdf/ICCROM_15_SharingConservDecisions-lt_en.pdf

EDMONDSON, Ray. Audiovisual archiving: philosophy and principles. Paris:   Unesco, 2004. Disponível em 2/6/08  em http://unesdoc.unesco.org/images/0013/001364/136477e.pdf )

FERGUSON, Robert et al. Our students and ourselves – Approaching course design. Roma: ICCROM, 2004.

GOMES, Neide A. O Ensino de Conservação, Preservação e Restauração de Acervos Documentais no Brasil.  Brasília: Universidade de Brasília, 2000. [dissertação de mestrado]

HERNAMPÉREZ, Arsenio S. Paradigmas Conceptuales en Conservación. Disponível em 15/01/09 em http://palimpsest.stanford.edu/byauth/hernampez/canarias .html

HOLLÒS, Adriana Cox. Entre o passado e o futuro: limites e possibilidades da preservação documental no Arquivo Nacional do Brasil. Rio de Janeiro: UNIRIO, 2006. [dissertação de mestrado] Disponível em http://www.dominiopublico.gov.br

SANTOS, Boaventura de Souza. A UNIVERSIDADE NO SÉCULO XXI – Para uma reforma democrática e emancipatória da Universidade. São Paulo: Ed. Cortez, 2005.

SANTOS, Boaventura de Souza. UM DISCURSO SOBRE AS CIÊNCIAS. 5ª ed. São Paulo: Ed. Cortez, 2008.

NOTAS

1. Movimento cinematográfico brasileiro, influenciado pelo Neo-realismo italiano e pela Nouvelle Vague francesa.  Surge nos anos 50/60 do século passado e tinha como lema “Uma câmera na mão e uma idéia na cabeça” e se propunha a realizar filmes de autor, baratos, com preocupações sociais e de criação de uma identidade político-cultural para o povo brasileiro.

2. Movimento cinematográfico underground do final dos anos 60 estava em busca de novos padrões estéticos e alinhado com o movimento mundial de contracultura e com a explosão do tropicalismo na MPB.

3. Cf. http://www.cinform2008.ici.ufba.br/  . Acesso em 17/10/2008

4. Cf. https://www.ufba.br/taxonomy/term/50/all. . Acesso em 17/10/2008.

5.  Para 2009, ainda de forma experimental, pretendemos aperfeiçoar o referido curso, desta vez dando-lhe um caráter de curso híbrido – parte presencial, parte à distância –, usando o sistema Moodle de gerenciamento de cursos.

6. Cf. http://www.cridi.ufba.br  Acesso em 17/10/2008. Ver também http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0291607KTX7ENZ  . Acesso em 17/10/2008.

7. Cf. https://www.twiki.ufba.br/twiki/bin/view/Cridi/Projeto%201 . Acesso em 17/10/2008.

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*